segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Quase metade dos municípios decretou emergência ou calamidade de 2003 a 2016


Entre os anos de 2003 e 2016, praticamente metade dos 5.570 municípios do país foi obrigada a decretar, pelo menos uma vez em sete anos diferentes, situação de emergência ou estado de calamidade pública em virtude de secas e estiagens. De acordo com o relatório pleno de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil 2017, divulgado hoje (4) pela Agência Nacional de Águas (ANA), do total de cidades afetadas por longos períodos sem chuva, 1.794 são da Região Nordeste.

No mesmo período, de acordo com o relatório, 48 milhões de pessoas foram afetadas por secas (duradoura) ou estiagens (passageiras) no Brasil. Ao todo, foram registrados 4.824 eventos de seca com danos humanos. Somente no ano passado, 18 milhões de habitantes do país foram afetados por fenômenos climáticos que provocaram escassez hídrica. Desse total, 84% viviam na Região Nordeste.

Ainda conforme o relatório, o Nordeste registrou 83% dos 5.154 eventos de secas registrados no país entre os anos de 2003 e 2016, que prejudicam a oferta de água para abastecimento público, geração hidrelétrica, irrigação, produção industrial e navegação.

Em sua terceira edição, o relatório pleno de Conjuntura dos Recursos Hídricos é composto por dados de mais de 50 instituições parceiras da ANA e faz uma radiografia da situação das águas do país.

Conforme o levantamento, secas e cheias representaram 84% dos quase 39 mil desastres naturais entre 1991 e 2012, afetando cerca de 127 milhões de brasileiros. No período de 1995 a 2014, as perdas decorrentes desses problemas chegaram a R$ 182,7 bilhões. Em media, os prejuízos são de R$ 9 bilhões por ano ou aproximadamente R$ 800 milhões por mês.

Enxurradas

Se a seca causou impacto nas cidades nordestinas, o relatório mostra que as fortes chuvas e as cheias atingiram especialmente municípios do Sul do país. Entre 2003 e 2016, 47,5% dos municípios do país declararam situação de emergência ou estado de calamidade pelo menos uma vez por causa de cheias. Desses, 55% (1.435) ficam no Sudeste ou no Sul.
“Ao contabilizar eventos de cheia, o Conjuntura informa que entre 2013 e 2016 um total de 7,7 milhões de brasileiros sofreram com os impactos dos diferentes tipos de cheias: alagamentos, enxurradas e inundações. Apenas em 2016, cerca de 1,3 milhão de habitantes sofreram com a água em excesso” diz trecho do relatório.
No período, Santa Catarina e o Rio Grande do Sul tiveram 44% dos registros de eventos de cheias associados a danos para pessoas no país.

Consumo

De acordo com o relatório, em média, por ano, do total de água retirada dos rios, córregos, lagoas, lagos e reservatórios no país, 46,2% vão para irrigação, 23,3% para abastecimento urbano, 10,3% para termoelétricas, 9,2% para a indústria, 7,9% para abastecimento animal, 1,6% para abastecimento rural e o mesmo percentual para mineração.

Do total de água consumida no país, 67,2% são utilizadas para irrigação, 11,1% no abastecimento animal, 9,5% na indústria, 8,8% no abastecimento urbano, 2,4% no abastecimento rural, 0,8% na mineração e 0,3% nas termoelétricas.


Segundo o estudo, a demanda por uso de água no Brasil é crescente, com aumento estimado de aproximadamente 80% no total retirado de água nas últimas duas décadas. “Até 2030, a previsão é de que a retirada aumente em 30%”, mostra o relatório. De acordo com a ANA, a evolução do uso da água está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e ao processo de urbanização do país.

(com Radiobrás)

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Prova para os Cursos Técnicos do IFF neste domingo


O Instituto Federal Fluminense (IFF) vai aplicar a prova objetiva do Processo Seletivo de Ingresso nos Cursos Técnicos de Nível Médio 2018/1.º semestre neste domingo, 03 de dezembro de 2017, das 09h30 às 12h30, nos seus diversos campi e em alguns espaços cedidos para o Instituto (confira a lista abaixo).

 Ao todo, 12.927 candidatos concorrem a 2.920 vagas, distribuídas pelos campi Avançados Cambuci, Maricá e São João da Barra e os campi Bom Jesus do Itabapoana, Cabo Frio, Campos Centro, Campos Guarus, Itaperuna, Macaé, Quissamã, Santo Antônio de Pádua e a Unidade de Formação de Cordeiro.

Os candidatos deverão chegar ao local apontado no Cartão de Confirmação de Inscrição 60 minutos antes do início da prova, portanto, às 8h30, munidos de seu documento original de Identificação Oficial com foto, Cartão de Confirmação de Inscrição, indispensáveis para sua identificação, e caneta esferográfica de tinta preta. A impressão do Cartão de Confirmação estará disponível até o dia 01 de dezembro, nos endereços https://inscricoes.iff.edu.br/candidatos/sign_in ou www.selecoes.iff.edu.br. Para imprimi-lo, é preciso informar CPF e senha e, na área “Minhas inscrições”, clicar em “Emitir cartão de confirmação”.

 O Processo Seletivo para os Cursos Técnicos de Nível Médio será desenvolvido em etapa única, que compreende prova objetiva de múltipla escolha, com 40 questões.

Os cursos com maior concorrência são o Técnico Concomitante em Informática do Campus Campos Centro, com 409 candidatos para 20 vagas, totalizando 20,4 candidatos/vaga, e o Técnico Subsequente em Enfermagem do Campus Campos Guarus, com 544 inscritos para 30 vagas, totalizando 18,1 candidatos/vaga.

 “Nossas expectativas são muito positivas. Sabemos do anseio por parte da sociedade, pelo nosso Processo Seletivo, em especial dos candidatos que buscam, através deste processo, ingressar em um dos diversos cursos da nossa Instituição”, destaca Marcelo Sarmento, diretor de Gestão Acadêmica e Políticas de Acesso do IFFluminense.

O Instituto divulgará, no dia 03 de dezembro de 2017, após as 18h, o gabarito da prova, no endereço eletrônico www.selecoes.iff.edu.br.

Locais de realização da prova:

  • Campus Avançado Cambuci
Colégio Estadual Municipalizado Professor Manoel Gonçalves Ramos Junior – Rua Vicente Belo, N.º 294, Centro – Cambuci/RJ.

  • Campus Avançado Maricá
CEM Joana Benedicta Rangel – Rua Nossa Senhora do Amparo, N.º 240, Centro – Maricá/RJ.

  • Campus Avançado São João da Barra
IFF ­ Campus Avançado São João da Barra – Rodovia BR 356, KM 181, Povoado Perigoso – São João da Barra/RJ.

  • Campus Bom Jesus do Itabapoana
IFF ­ Campus Bom Jesus do Itabapoana – Av. Dário Vieira Borges, N.º 235, Pq. Trevo – Bom Jesus do Itabapoana/RJ.

  • Campus Cabo Frio
IFF ­ Campus Cabo Frio, - Estrada Cabo Frio – Búzios, s/n, Baía Formosa – Cabo Frio/RJ.
UNOPAR – Avenida Assunção, N.º 682, Centro – Cabo Frio/RJ.
Escola Municipal Américo Vespúcio – Rua Theonas Terra, N.º 70, Parque Burle – Cabo Frio/RJ.

  • Campus Campos Centro
IFF ­ Campus Campos Centro – Rua Dr. Siqueira, N.º 273, Parque Dom Bosco – Campos dos Goytacazes/RJ.
Universidade Salgado de Oliveira – Av. 28 de Março, N.º 856, Pq. Tamandaré – Campos dos Goytacazes/RJ.

  • Campus Campos­ Guarus
IFF ­ Campus Campos Guarus – Av. Souza Mota, N.º 350, Parque Fundão – Campos dos Goytacazes/RJ.
Colégio Estadual Doutor Felix Miranda – Rua Rio Bonito, N.º 152, Pq. Guarus – Campos dos Goytacazes/RJ.

  • Campus Itaperuna
IFF ­ Campus Itaperuna – BR 356, KM 3, Cidade Nova – Itaperuna/RJ.

  • Campus Macaé
IFF ­ Campus Macaé – Rodovia Amaral Peixoto, KM 164, Imboassica – Macaé/RJ.
Colégio Estadual Matias Neto – Rua Conde de Araruama, N.º 439, Centro – Macaé/RJ.
Colégio Estadual Luiz Reid – Rua Teixeira de Gouveia, N.º 942, Centro – Macaé/RJ.

  • Campus Quissamã
IFF ­ Campus Quissamã – Av. Amilcar Pereira da Silva, N.º 727, Piteiras – Quissamã/RJ.

  • Campus Santo Antônio de Pádua
IFF ­ Campus Santo Antônio de Pádua – Rua João Jacbick, S/N, Aeroporto, Santo Antônio de Pádua/RJ.

  • Unidade de Formação de Cordeiro
Escola Municipal José Pinho de Carvalho – Rua Adoasto Pires Neves, s/n, São Luiz, Cordeiro/RJ.

(com assessoria)

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Apesar de Pezão, UENF resiste bravamente


O esforço que o governo Pezão vem fazendo para inviabilizar a educação pública de qualidade no Estado do Rio de Janeiro não foi suficiente para impedir que a Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) mantivesse seu lugar de destaque – que vem de anos – no Índice Geral de Cursos (IGC), divulgado nesta segunda-feira.

Tanto que mesmo enfrentando problemas para manutenção, atraso no pagamentos dos vencimentos de todos os servidores, entre outras situações que caracterizam a pior crise enfrentada desde sua criação, ocasionada pela falta de repasses de recursos por parte do governo estadual, a UENF é apontada como a 12ª Universidade do país, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC). Detalhe importante é que foi a primeira vez que a UENF atingiu o ICG-5, que é maior pontuação da escala que mede o desempenho das instituições de ensino superior do Brasil.

A conquista da UENF pode ser conferida em O Globo (aqui) e no blog Na Curva do Rio, da jornalista Suzy Monteiro, na Folha da Manhã (aqui).

Idealizada por Darcy Ribeiro, a Uenf, também conhecida como a Universidade do Terceiro Milênio, era um sonho antigo da população campista e regional e desde que foi fundada, há 24 anos, vem tendo papel de destaque no meio científico, por conta das pesquisas de ponta que desenvolve.

Atualmente, enfrenta uma greve dos servidores por causa do atraso no pagamento de agosto, setembro e outubro nos seus vencimentos, fora o 13° do ano passado, sem data definida para serem quitados.

Além da UENF, enfrentam problemas também a UERJ e a UEZO, que igualmente são mantidas com recursos estaduais. As três universidades participam do movimento Supera Rio, que se mobiliza para reverter o quadro caótico em que se encontram.

Em tempo: Pezão não é o único que vem tratando a educação com descaso. Em todo o país, a comunidade científica vem sofrendo com a política de corte de gastos implantada por Michel Temer e vários programas foram afetados.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Documentário sobre o Monitor Campista será lançado no Museu, nesta terça



O documentário “Monitor 183”, desenvolvido por um grupo de alunos do curso de Comunicação Social do Centro Universitário Fluminense (Uniflu), vai ser lançado nesta terça-feira (21/11), às 19h, com exibição no Museu Histórico de Campos, na Praça São Salvador. O material é fruto de uma demanda levada ao curso pelo professor e presidente da Associação de Imprensa Campista (AIC), Vitor Menezes, extraída na primeira reunião realizada no Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, no primeiro semestre deste ano, envolvendo ex-funcionários e representantes do próprio Arquivo, pesquisadores e a AIC.O objetivo é trazer reflexão sobre a necessidade de reativar o Monitor Campista, jornal que encerrou as atividades por decisão do grupo Diários Associados Assis Chateaubriand em 15 de novembro de 2009, mesmo a empresa estando operando no azul.


O trabalho, que durou aproximadamente quatro meses, tem 26 minutos de duração e foi desenvolvido por seis alunos do 7° período do curso, que participaram da pesquisa e ouviram 11 pessoas, entre ex-funcionários do jornal (fotógrafos, repórteres e editores), além de uma historiadora, uma colunista e uma antropóloga. O roteiro ficou a cargo do professor Mozarth Dias, enquanto a pós-produção e finalização couberam ao professor Victor Hugo Berenger – com imagens de Armando Ribeiro e edição de Maurício de Castro, ambos do Uniflu. O trabalho é dos alunos Aline Mendes, Geovana Barcelos, Jhony Diorel, Marília Faria, Tatiana Martins e Romário Junior.  A projeção será precedida pelo curta "Correntes", do 8° período, seguida de debate.

– O nome do projeto é ‘Monitor 183’ porque o jornal teria hoje 183 anos e seria o segundo mais antigo do Brasil – quando fechou, era o terceiro mais antigo do país e o quinto da América do Sul. E também vendo essa necessidade de trazer, de relembrar a história que o jornal contou em quase dois séculos. Isso sem falar na importância de deixar viva essa busca pela implantação da marca Monitor Campista no cotidiano do morador da cidade, como mídia alternativa. É uma busca para comover entidades e também empresários, buscar essa discussão para reativar uma mídia que traga informações isentas de qualquer tipo de influência. Na realidade, a gente está trazendo à tona um debate sobre o fatídico fechamento do Monitor Campista, para tentar comover a população e as entidades que tanto tinham a colaboração desse jornal – informa Mozarth.


O documentário mostra a opinião de ex-funcionários que atuavam na empresa na época do fechamento e também fala sobre o reflexo da realidade midiática da região, preocupação também dos profissionais de mercado que participaram do projeto.

O curso de Comunicação também realizou um seminário sobre o tema, aberto a todos os alunos. Para este ano, estavam previstas uma exposição no Arquivo Público Municipal e uma edição especial do jornal, mas que, por motivos alheios à vontade das pessoas envolvidas na mobilização, não puderam acontecer.


O fechamento – O Monitor Campista foi fechado pelo Grupo Associados em novembro de 2009, mesmo operando com finanças capazes de bancar suas atividades. Naquele ano, o jornal deixava de circular o Diário Oficial da Prefeitura de Campos, o que deu um baque nas finanças da empresa. Após o encerramento das atividades, chegou-se a fazer um movimento pela reabertura do jornal, tendo inclusive havido uma tentativa de arrecadar recursos para a compra da marca Monitor Campista, que não conseguiu o valor exigido pelo presidente do Jornal do Commercio, Maurício Dinepi, que, anos depois, a cedeu (confira aqui) gratuitamente para a própria prefeitura.


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Pobre cidade rica



Num momento de crise e quando a população leva mais uma garfada com bandeira vermelha no consumo de energia elétrica, o blog flagrou, nos últimos dois dias (terça e nesta quarta-feira, 15/11), trecho da Rodovia RJ-216 (que liga Campos a Farol de São Thomé), entre o Parque Imperial e a Usina Santo Antônio, com as luzes dos super postes acesas, conforme mostram as fotos flagradas nos dois sentidos.


Convenhamos, um desperdício injustificável.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Rotary promove passeio ciclístico em Campos neste domingo, dia 22

Não é novidade pra ninguém que o ciclismo é uma prática que vem tendo, a cada dia que passa, mais adeptos em Campos. E, para os amantes desse esporte, uma boa oportunidade para exercitar é o Passeio Ciclístico promovido pelo Rotary Club de Campos dos Goytacazes-Planície, que acontece no próximo domingo, 22/10, tendo como concentração a pracinha do Canhão, no Centro, a partir das 7h.

O Passeio Ciclístico também visa lembrar sobre a importância do combate à poliomielite, cujo dia mundial acontece em 24/10, mas como cairá numa terça-feira, o Rotary optou em antecipar a conscientização.

Confira abaixo mais informações sobre o evento:


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Carrinhos de Rolimã no "1° Largadão da Tribo", no Dia da Criança


Quem viveu numa época em que os carrinhos de rolimã garantiam diversão pra toda a garotada tem uma ótima oportunidade de matar as saudades dessa brincadeira que acompanhou muitas gerações. E quem nunca viu, também terá a chance de ver o que é uma boa brincadeira.

É que para aproveitar o Dia da Criança, a ser comemorado nesta quinta-feira, 12/10, a igreja Tribo de Gade vai promover o “1° Largadão da Tribo”, que contará com brincadeiras na condução de carrinhos de rolimã.

O evento vai começar às 14h30, quando um trecho da rua João Maria, próximo ao campo do Ipiranga, será fechado até a Avenida Arthur Bernardes, no Capão, em Campos dos Goytacazes, para dar lugar aos carrinhos.

De acordo com a organização do evento, será uma boa oportunidade voltada para o relacionamento familiar por meio de brincadeiras saudáveis.

Para participar é só se inscrever na página no seguinte endereço: www.facebook.com/profile.php.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

"Bola nas costas" de Rafael Diniz


Enquanto o prefeito Rafael Diniz se esforça pra passar pra população que precisa economizar por ter encontrado uma prefeitura quebrada por sua antecessora, ao menos uma parte de sua equipe parece não ter o mesmo zelo. Nesta sexta-feira (28/09), uma diretora e uma das duas vices foram exoneradas da Escola Municipal José do Patrocínio, localizada no Conjunto Santa Maria, bairro da Penha.

Até aí, seria apenas um procedimento de troca de direção, provavelmente por conveniência de vereador que indicou dois diretores e agora decidiu que não os quer mais ocupando os cargos para os quais havia indicado no início do ano. Coisa comum na política, não só Goytacá, porque o mecanismo do toma-lá-dá-cá é o mesmo em todos os cantos do país e isso se tornou lugar comum.

No entanto, o que não se entende é o critério adotado, tomando por base que a administração atual fala aos quatro cantos que está quebrada, trocar duas DAS concursadas, ou seja, que recebiam a metade do valor da gratificação, por dois não concursados, ganhando o valor normal da gratificação, ou seja, o dobro do que ganhavam as que foram exoneradas.

Das duas uma: ou Rafael Diniz está mentindo para a população quando diz que a prefeitura não tem dinheiro, o que parece não ser seu estilo, ou está levando "bola nas costas" de uma parte da equipe que, nesse caso, está onerando mais a folha de pagamento, numa prefeitura dita quebrada.

Em tempo: inconformada, a comunidade local já estaria se mobilizando para tentar sensibilizar o prefeito para reverter a situação.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Mostra de Fanzines na inauguração da 1ª Fanzinoteca do Estado do Rio, no IFF Macaé


A I Mostra de Fanzines, que marcará a inauguração da 1ª Fanzinoteca do Estado do Rio, já está com inscrições abertas. De acordo com a organização do evento, no momento há uma convocatória para expositor que dará direito a uma mesa para troca e venda publicações independentes e fanzines no dia do evento, que vai ser sediado no Instituto Federal Fluminense Campus Macaé.

Tudo porque a Fanzinoteca IFF Macaé está prestes a ser inaugurada, com o propósito de preservar a memória gráfica/editorial independente, estimular a produção autoral contra-hegemônica e fortalecer a cultura do zine junto às novas gerações.


Para quem não sabe, o fanzine (do inglês fanatic+magazine) é uma revista artesanal amadora, feita de forma individual ou coletiva e que se constitui numa mídia contra-hegemônica que permite ao (s) autor (es) total domínio sobre conteúdo, formato, público e meio de distribuição. Surgiu nos anos de 1930 e, portanto, trata-se de uma espécie de rede social pre-internet, que integrava pessoas por meio de mídia tátil e produzida por meio de sistemas compositivos e processos de impressão acessíveis e de baixo custo, tal como a fotocópia. “Se você pensa que por isso o zine é coisa do passado, está enganado. O zine impresso ainda é muito apreciado e circula pelos Correios e em eventos pelo mundo todo. No Brasil, o fanzine, ou ‘zine’ surgiu nos anos de 1960 e, desde então, vem movimentando e integrando pessoas e fazendo circular ideias, processos criativos e servindo de suporte para o cenário cultural independente. Uma das mais novas vertentes na área de produção fanzineira é sua presença nas instituições de ensino”, informa a assessoria do evento.


Segundo o designer gráfico e cartunista Alberto de Souza, o Beralto, o fanzine tem sido utilizado no Instituto Federal Fluminense Campus Macaé como um mecanismo de estímulo aos talentos individuais, à produção autoral e também como ferramenta no ensino e aprendizagem, podendo servir tanto como suporte para produção textual como ser usado também como processo avaliativo nas escolas. O projeto IFanzine, coordenado pelo Beralto edita os fanzine PEIBÊ, que ganhou em 2016 um troféu nacional, o Ângelo Agostini, na categoria melhor fanzine de quadrinhos.

O projeto de fanzines do IFF Macaé, após quatro anos de atuação está concretizando um objetivo alentado há tempo – o de ocupar um espaço físico para montagem e preservação de acervo de fanzines, obtidos à base de troca pelo projeto. “As Fanzinotecas, embora sejam poucas que existam fisicamente, são uma instituição internacional, sendo a primeira no mundo a Fanzinothèque de Poitiers, na França. A fanzinoteca que ora será inaugurada no IFF Macaé, será a segunda fanzinoteca física do país, sendo a primeira, a Fanzinoteca Mutação em Rio Grande, RS”, informou Beralto.

Para marcar a inauguração deste espaço dedicado às produções fanzineira e publicações independentes, que acontecerá em 11 de outubro, a partir das 14h, no IFF Macaé, abriu-se uma convocatória aberta para mostra e exposição de fanzines e artistas. Fanzineiros que queiram participar do evento poderão fazê-lo nas duas modalidades de colaboração:
Enviando um ou mais exemplares impressos do (s) Zine (s) que serão expostos no dia da mostra e, posteriormente, integrado (s) ao acervo permanente da Fanzinoteca IFF Macaé.O prazo limite para envio das publicações: 30 de setembro.

Já na segunda modalidade, a pessoa ou coletivo se inscreve mediante o preenchimento de um formulário e terá direito a uma cadeira e mesa para expor/trocar/vender sua publicação (sob sua inteira responsabilidade) no dia 11 de outubro de 14 às 18h no Instituto Federal Fluminense Campus Macaé.

Acesse o formulário de inscrição aqui

(com assessoria)

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Conselho Tutelar CT-I tem novo endereço em Guarus, Campos


O núcleo do Conselho Tutelar CT-1, em Campos dos Goytacazes, já está funcionando em novo endereço: Avenida Carlos Alberto Chebabe, número 634, Guarus, de 8h às 18h, além dos plantões noturnos.

A mudança de sede foi reivindicação dos conselheiros que atuam no núcleo, uma vez que vai permitir melhorar ainda mais o atendimento às pessoas que procuram os serviços do órgão.

O núcleo C-1 pode ser acionado pessoalmente ou pelo telefone (22) 98829-4368 e os e-mails: tutelarg1@gmail.com e conselhotutelarcampos@gmail.com (geral), para fazer qualquer denúncia sobre desrespeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Confira abaixo a área de abrangência do CT-I em Guarus:

Nova Canaã, Fundão, Lagoa das Pedras, Parque Aldeia, Aldeia II, Parque Boa Vista I, Parque Boa Vista II, Parque Cidade Luz, Parque Guarus, Parque Lebret, Parque Santa Helena, Parque São José, Parque São Mateus, Parque Vera Cruz, Parque Santos Dumont, Sapucaia Três Vendas, Parque Bonsucesso, Parque Visconde de Ururaí, Parque Maracanã, Parque Niterói, Parque Pomares, Vila Nova, Cobra Velha, Conselheiro Josino, Espirito Santinho, Faísca, Giro Faísca, Guandu, Km 8, Km 9, Km 10, Km 11, Km 12, Km 13, Km 14, Km 15, Matutu Morro do Côco, Murudum, Palmares, Ribeiro Amaro, Boa Vista, Santa Maria, Santo Eduardo, Chave do Paraíso, Mata da Cruz, Mutuca.

sábado, 19 de agosto de 2017

Fuligem como cartão de visitas


Quem mora em Campos dos Goytacazes sabe exatamente quando a moagem já está em pleno vapor, porque incorpora à decoração da casa, a contragosto, a fuligem que emporcalha quintais e interiores, funcionando como um cartão de visitas às avessas.

O município já teve mais de 20 usinas sucroalcooleiras e, agora, se chegar a duas ou três operando será muito.

Só o estrago da fuligem continua o mesmo e há quem duvide que as queimadas serão extintas em 2025, como acordado com o MPE há alguns anos.

Quem viver, verá. Ou não.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Darcy Ribeiro em seminário pelos 24 anos da Uenf

O idealizador da Universidade Estadual do Norte Fluminense, Darcy Ribeiro, que também dá nome à instituição, será tema de um seminário a ser realizado no próximo dia 16 de agosto, no Centro de Convenções Oscar Niemeyr.

O evento faz parte das comemorações dos 24 anos da Uenf.

Confira abaixo os detalhes do seminário:


sexta-feira, 28 de julho de 2017

Projeto Banho de Vida acontece neste sábado, em Rio das Ostras


Agência Missionária Ação Resgate atende moradores em situação de rua com cortes de cabelo e barba, além de doação de roupas e lanche

Um projeto sem fins lucrativos, que acontece há cerca de um ano na cidade de Rio das Ostras e atualmente já é realizado em mais três municípios, sendo Campos, Cabo Frio e Macaé. Assim é o Banho da Vida, do Projeto da AMAR - Agência Missionária Ação Resgate.

A ação, que tem o objetivo de atender moradores em situação de rua, acontece uma vez por mês, com cortes de cabelo e barba, doação de roupas e lanches. Os assistidos recebem um kit de banho, com toalha, xampu, condicionador, sabonete, creme dental e escova.

O próximo Banho da Vida ocorre neste sábado, dia 29, a partir das 14h, na Concha Acústica da Praça São Pedro, no Centro de Rio das Ostras. O projeto é realizado por meio de uma carretinha móvel, com dois chuveiros, sendo um masculino e o outro feminino, para a realização dos banhos, que, no inverno, tem água quente. Também existem lavatórios na área externa para higiene bucal.


Segundo os coordenadores do projeto, o objetivo principal dos voluntários é promover a autoestima e a reinserção das pessoas em situação de rua, às suas famílias. “Estamos seguindo os preceitos cristãos de servir ao próximo e, através da pregação da Palavra de Deus, buscando conversões de fé em Jesus Cristo, para que eles tenham uma vida digna e com mais paz”, disse uma voluntária.

Toda mobilização e ações do projeto são desenvolvidas por voluntários. Para isto, o Banho da Vida necessita de doações de produtos de higiene pessoal, roupas e calçados. Mais informações pelo telefone (22) 99883-0367.

(com assessoria)

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Seminário “Volta, Monitor!” começa nesta terça, no Uniflu


Começa nesta terça-feira, 22 de julho, o seminário “Volta, Monitor!”, como parte de atividade acadêmica de abertura do Semestre Letivo 2017 do curso de Jornalismo do Centro Universitário Fluminense (Uniflu), em Campos.

O evento, que tem como objetivo reforçar a campanha visando a reabertura do jornal Monitor Campista, que encerrou suas atividades no dia 15 de novembro de 2009, por decisão do Grupo Diários Associados.

Estarão presentes ao seminário, representantes de ex-funcionários do jornal, que contarão histórias da redação, da Associação de Imprensa Campista (AIC) e do Arquivo Público Municipal, que também organiza uma exposição a ser realizada em novembro deste ano, contando com o acervo do Monitor Campista, documentário e o lançamento de uma edição especial.

O seminário acontecerá na terça, quarta, quinta e sexta-feira, entre 19h e 21h, no auditório do Uniflu, no centro de Campos, aberto a toda comunidade.

Confira abaixo a programação:
  
25 de Julho - Terça-feira - 19h às 21h
Histórias de redação - Ex-funcionários contam suas experiências no jornal
Expositores: Hélvio Cordeiro, Mariane Pessanha e Jô Siqueira.
Moderação: Liliane Barreto.

26 de Julho - Quarta-feira - 19h às 21h
Importância patrimonial e situação do acervo do Monitor Campista
Expositores: Rafaela Machado, Francisco Antônio Alves e Eugênio Soares
Moderação: Larissa Manhães.

27 de Julho - Quinta-feira - 19h às 21h
Como fazer o Monitor Campista voltar a circular - I
Expositores: Inês Ururay (Uniflu), Vitor Menezes (AIC), Paulo Roberto Rangel (PMCG) e Cilênio Tavares(ex-funcionário)
Moderação: Jacqueline Deolindo.

28 de Julho - Sexta-feira - 19h às 21h
Como fazer o Monitor Campista voltar a circular - II
Grupo de trabalho para sistematização das propostas apresentadas na noite anterior e aprovação de documento com resolução do seminário, com participantes de todas as mesas e demais interessados. Moderação: Jacqueline Deolindo.

Realização: Uniflu


Fonte: assessoria.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Uniflu promove seminário "Volta, Monitor!"

O curso de Comunicação Social do Uniflu vai promover um seminário para discutir o retorno do jornal Monitor Campista, que encerrou suas atividades em 15 de novembro de 2009.
Confira abaixo a programação:

Atividade acadêmica de abertura do Semestre Letivo 2017.2 no Curso de Jornalismo do Uniflu

Aberto à comunidade

Programação:

25 de Julho - Terça-feira - 19h às 21h
Histórias de redação - Ex-funcionários contam suas experiências no jornal
Expositores: Hélvio Cordeiro, Mariane Pessanha e Jô Siqueira.
Moderação: Liliane Barreto.

26 de Julho - Quarta-feira - 19h às 21h
Importância patrimonial e situação do acervo do Monitor Campista
Expositores: Rafaela Machado, Francisco Antônio Alves e Eugênio Soares
Moderação: Larissa Manhães.

27 de Julho - Quinta-feira - 19h às 21h
Como fazer o Monitor Campista voltar a circular - I
Expositores: Inês Ururay (Uniflu), Vitor Menezes (AIC), Paulo Roberto Rangel (PMCG) e Cilênio Tavares(ex-funcionário)
Moderação: Jacqueline Deolindo.

28 de Julho - Sexta-feira - 19h às 21h
Como fazer o Monitor Campista voltar a circular - II
Grupo de trabalho para sistematização das propostas apresentadas na noite anterior e aprovação de documento com resolução do seminário, com participantes de todas as mesas e demais interessados. Moderação: Jacqueline Deolindo.

Realização: Uniflu

Fonte: assessoria.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Pezão e a sangria da UENF


O que o governo Pezão está fazendo com a Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) é um crime que terá consequências desastrosas para o futuro da instituição, não bastassem as dificuldades do momento, que beiram à irresponsabilidade.

A UENF foi criada há mais de 22 anos, idealizada por Darcy Ribeiro após uma luta comovente de vários segmentos da sociedade campista, com a proposta de servir de ponte para o desenvolvimento regional, entre outras atribuições que vem dando à ciência do país, de um modo geral. Tanto que há anos tem conquistado posição de destaque como a melhor universidade do Estado do Rio de Janeiro.

A dívida de R$ 65 milhões que o governo Pezão tem com a universidade mostra o claro desprezo e desrespeito com a educação, o que não é só o caso da instituição, mas com toda a área educacional em território fluminense. Isso sem falar no atraso do pagamento aos servidores, de um modo geral, o que compromete, além do orçamento doméstico dos mesmos, também os demais segmentos da economia, como comércio e serviços, por exemplo.

Estive na Uenf por um período de pouco mais de dois anos e vejo com muita tristeza e indignação o que está acontecendo neste momento com a Universidade do Terceiro Milênio, com suas atividades praticamente paralisadas - UERJ e UEZO estão na mesma situação.

Em tempo: seria bom que o governador viesse à público dar explicação sobre o destino da arrecadação estadual, uma vez que os contribuintes continuam pagando seus impostos.

Agora mesmo, mais um ônus, a taxa de incêndio, criada para bancar os serviços do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, mas que se sabe que vai mesmo para um caixa único, ou seja, pode ser destinada para qualquer área que não seja ao objetivo para a qual foi criada.

(foto: Paulo Damasceno)

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Movimento Volta Monitor Campista avança em busca de parcerias


O movimento Volta Monitor Campista realizou, nesta sexta-feira (09/06) à tarde, no Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, a segunda reunião de trabalho cujo objetivo é promover uma grande exposição a ser inaugurada no dia 15 de novembro deste ano, quando o jornal completa 8 anos de encerramento das atividades. Paralelamente, haverá uma edição especial impressa do jornal, bem como um documentário com o depoimento de ex-funcionários e colaboradores. A ideia é utilizar o movimento como iniciativa pela reabertura do jornal.

Durante a reunião, ficaram definidas algumas ações que serão desencadeadas nos próximos dias, como a busca de parcerias para custear o projeto Volta Monitor Campista, junto à Câmara de Vereadores – que foi responsável pelo retorno do acervo do jornal, hoje abrigado no Arquivo Público Municipal –, Uniflu e entidades que queiram participar das atividades.

Na próxima semana, representantes do Arquivo Municipal vão se reunir na Associação de Imprensa Campista (AIC) para se inteirar do material que possa ser disponibilizado para contribuir com a exposição, utilizando parte do que foi exposto durante evento realizado por ocasião do retorno do acervo ao município.

Um outro grupo está realizando levantamento do custo para garantir a edição especial impressa e buscar parceria para o documentário. Além disso, uma comissão vai solicitar audiência com o presidente da Câmara de Vereadores de Campos, Marcão Gomes, nos próximos dias, também em busca de apoio do Legislativo ao movimento.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Bazar beneficente de igreja em Vivendas do Coqueiro neste sábado


A Igreja Batista em Vivendas do Coqueiro (IBVC) promove, neste sábado, dia 10/06, um bazar beneficente, na Avenida Newton Guaraná, n° 16, no bairro de mesmo nome, a partir das 9h.

Inicialmente o bazar funcionará todos os sábados até o dia 25 de julho, quando será inaugurado oficialmente, passando a atender nos dias úteis.

O objetivo do bazar é arrecadar recursos para ajudar a equipar a igreja com cadeiras, som e outros equipamentos necessários às suas atividades.

(com assessoria)

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Apertando demais a porca


No Brasil, a indústria das multas continua a prosperar, com a criação de leis que objetivam garfar mais dinheiro dos contribuintes, como é o caso da que estabelece que todos os veículos trafeguem com os faróis acesos mesmo durante o dia nas rodovias.

Esse procedimento é usado em países que costumam ter um clima propício à redução de visibilidade durante o dia, como na Europa, por exemplo, mas daí a aplicar num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza, como bem diz a música de Jorge Ben Jor, chega a ser um acinte.

Em pleno sol de meio-dia, sem qualquer dificuldade de visibilidade, os carros são obrigados a trafegar de faróis acesos por uma lei que mina ainda mais a paciência e o bolso dos cidadãos, cansados que estão, de tantos impostos a que são obrigados a bancar. Isso sem falar que os equipamentos, por serem usados com maior frequência, também farão a festa da indústria de faróis e outras peças necessárias ao seu uso.

Nenhuma estatística apontando que o número diminuiu por causa de faróis acesos, nenhum estudo mais aprofundado, apenas a vontade de arrecadar mais dos trouxas que nos transformamos para sustentar um sistema falido que favorece uma minoria que faz o que bem entende quando está no topo do poder.

Em tempo: a experiência comprova que quando o parafuso é apertado demais, isola a rosca. Estamos a um passo de isso acontecer.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Seminário Gente que é Nome de Arquivo acontece em junho

O professor Eugenio Soares, da UFF, e a escritora Walnize Carvalho ministram o seminário Gente que é Nome de Arquivo: Waldir Pinto de Carvalho, no próximo dia 08 de junho, no Arquivo Municipal que tem o nome do escritor campista.

O Arquivo Municipal Waldir Pinto de Carvalho fica localizado no Solar do Colégio, na estrada que liga Goitacazes a Tócos, na Baixada Campista.

Confira mais detalhes abaixo:

terça-feira, 30 de maio de 2017

Limpeza de canal em Barra do Furado


Parceria entre as prefeituras de Campos dos Goytacazes e Quissamã, com a Secretaria Estadual do Ambiente (SEA), permitiu o início da limpeza do canal em Barra do Furado, atendendo reivindicação dos pescadores que estavam enfrentando dificuldades para entrar e sair do mar com suas embarcações.


Recentemente, os pescadores chegaram a fazer uma manifestação solicitando que a limpeza fosse realizada.



(com assessoria)

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Movimento Volta Monitor Campista


O Monitor Campista vive. O jornal que encerrou as atividades em 15 de novembro de 2009, quando era o terceiro mais antigo em circulação no Brasil e quinto da América do Sul, ganha um movimento, em Campos, que objetiva sua reativação. Uma reunião realizada na manhã desta quinta-feira, no Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, com representantes do poder público, AIC, pesquisadores e ex-funcionários do jornal, iniciou as discussões para viabilizar seu retorno à circulação.


Na reunião, ficou definido que o primeiro passo concreto será a realização, em novembro, de uma exposição com material do Monitor Campista no próprio Arquivo Municipal, responsável pelo acervo riquíssimo para a história de Campos dos Goitacazes. Paralelamente, os ex-funcionários e colaboradores vão desenvolver uma edição especial para marcar o que esperam que seja um marco para o retorno do jornal que encerrou as atividades quando ainda pertencia ao Diários Associados.


Além da exposição, também será articulado um documentário com depoimentos de ex-funcionários do Monitor Campista, colaboradores e representantes da sociedade civil organizada falando sobre a importância do jornal não só para a história do município mas também como importante meio de comunicação devido à conduta imparcial enquanto permaneceu em atividade.


A reunião também definiu por buscar parceria com a Câmara de Vereadores de Campos, por meio do presidente, Marcão Gomes, e o apoio da prefeitura. Inicialmente pensa-se em reativar o Monitor como um jornal-escola, mas isso ainda será objeto de definição posteriormente, à proporção que as discussões avancem.
Para a edição especial, uma equipe formada por ex-funcionários e colaboradores vai iniciar os trabalhos realizando reuniões na AIC.

Exposição – A data para a realização da exposição no Arquivo Público Municipal foi definida para novembro em comum acordo com os presentes. Rafaela Machado explicou que a ideia é fazer um trabalho que possa por à mostra uma parte do importante acervo histórico do jornal, que hoje se encontra sob a responsabilidade do poder público municipal. Em princípio, a exposição também será realizada no Museu Histórico de Campos, que fica na Praça São Salvador.

Participaram da reunião, as historiadoras Rafaela Machado e Larissa Manhães, a restauradora Gabriela Pimentel, os pesquisadores Genilson Fernandes, Vilmar Rangel e Noara Arraiol, o presidente da Associação de Imprensa Campista (AIC), Vitor Menezes, além dos ex-funcionários do Monitor, Cilênio Tavares, Hélvio Cordeiro e Izael Barroso. A próxima reunião foi agendada para o próximo dia 09 de junho, às 15h, no Arquivo Municipal.